Posts com a Tag ‘social commerce’

 

Solução de check-out dobra taxa de pedidos finalizados em loja social

Novo serviço de check-out oferecido a lojistas usuários da plataforma de social commerce  LikeStore, em caráter experimental, mais que dobrou a taxa de pedidos finalizados durante a primeira semana de uso, além de reduzir em 18% a taxa de pedidos abandonados no carrinho. A informação é de Ricardo Grandinetti, gerente de produto da LikeStore.

De acordo com o executivo, o serviço, desenvolvido pelo parceiro de pagamentos Moip, incrementa a integração com o ambiente do Facebook, com benefícios para ambas as partes da transação. “O consumidor terá a facilidade de memorizar seus dados, agilizando a aquisição; enquanto o lojista receberá com mais clareza e rapidez as informações do comprador. Isso tudo vai auxiliar no aumento da taxa de conversão, fomentando ainda mais o social commerce”, diz o executivo.

Lançada em fevereiro, a solução, compreende toda a parte final de uma compra pela internet, quando o consumidor necessita informar dados cadastrais para efetuar o pedido. “O check-out é um momento crítico na compra, e quanto mais claro, assertivo e amigável ele for, maior será a chance de o consumidor concluir a compra”, finaliza Grandinetti.

 

Blocos de carnaval investem em social commerce

Social commerce, ou comércio virtual realizado por meio de plataformas de mídias sociais, como Facebook ou Orkut, surge como canal alternativo para venda e visibilidade de marcas e produtos com menor valor agregado ou de nichos específicos, como negócios relacionados com o carnaval.

Este ano, blocos carnavalescos, como o Carnaval Formigueiro e a República Santuário, em Ouro Preto, além da Central do Carnaval, em Salvador, estão apostando nessa abordagem para venda de produtos e captação de clientes em todo o país.

A estratégia das três entidades incluiu criação no Facebook das chamadas “likestores”, desenvolvidas sobre plataforma de social commerce da empresa LikeStore. “O custo do vendedor é menor. Não cobramos taxa de instalação ou manutenção”, lembra Ricardo Grandinetti, gerente da LikeStore.

Grandinetti avalia que as  facilidades do comércio por redes sociais atraem lojistas que muitas vezes não apareceriam na internet de outra forma. “Montar e administrar um e-commerce comum para setores mais específicos, ou com preços mais baixos, não seria vantajoso do ponto de vista financeiro”, diz ele.

Plataforma de social commerce do Magazine Luiza gera 20 mil lojas virtuais

O Magazine Luiza anuncia a criação de 20 mil lojas virtuais em parceria com usuários de redes sociais. Esse número foi atingido uma semana depois de a rede varejista anunciar a sua nova modalidade de social commerce, chamada Magazine Você.

Trata-se de plataforma em que usuários do Facebook e do Orkut podem criam suas próprias lojas, com produtos da empresa varejista, e ganhar comissões de 2,5% ou 4,5% por cada venda. A operação da loja e as garantias de segurança dos dados de pagamento, de sigilo das informações e de entrega são de responsabilidade do Magazine Luiza.

Segundo o diretor de vendas e marketing da empresa, Frederico Trajano, a adesão à plataforma foi muito acima das expectativas da empresa. “O projeto foi recebido com muita empolgação, por seu pioneirismo e por ser visto como uma oportunidade de renda extra para as famílias, usando apenas redes sociais e indicações de amigos”, diz.

Trajano afirma que o Magazine Você é a única iniciativa do gênero no mercado mundial de varejo. O número de lojas obtidos nesta primeira semana, segundo ele, representa o dobro da meta prevista para dezembro deste ano.

 

 

Magazine Luiza quer parceria com usuários do Orkut e Facebook para abrir 10 mil lojas virtuais

A rede varejista Magazine Luiza anunciou nesta quinta-feira, 26, sua plataforma de social commerce, antecipando o lançamento para todo o Brasil. O “Magazine Você” é apresentado como uma iniciativa que permite ao usuário de redes sociais abrir uma loja no Orkut e/ou Facebook com até 60 produtos da rede varejista, divulgar entre seus amigos e ganhar uma comissão de 2,5% ou 4,5 % por cada produto vendido.

Toda a operação de compra da nova loja , incluindo o pagamento e a entrega, fica sob a responsabilidade do Magazine Luiza, o que, segundo a empresa, garante segurança e confiabilidade à plataforma.

“Transformamos a venda de porta a porta no clique a clique”, afirma Frederico Trajano, diretor de marketing e vendas do Magazine Luiza. “Estudamos profundamente as redes sociais para entender como poderíamos ser relevantes para as pessoas e, ao mesmo tempo, incrementar nossas vendas e trazer novos clientes originados desses canais interativos”, diz.

De acordo com a rede varejista, a iniciativa foi testada em uma etapa inicial, considerada bem sucedida, junto a parentes de funcionários. Essa primeira fase alcançou a marca de mil lojas em menos de quatro meses. Com a abertura para o público em geral, nesta quinta-feira, a meta da varejista é atingir 10 mil divulgadores em 2012, impactando um milhão de clientes.

“A empresa decidiu antecipar a abertura para o público geral, que estava prevista para março deste ano. A partir de agora, qualquer pessoa pode ter sua própria loja nas redes sociais e ganhar comissão por cada produto vendido. Esse é o novo comércio e a prova de que o digital commerce é aqui e agora”, afirma a varejista, em comunicado.

LikeStore e Site Blindado anunciam parceria para segurança em social commerce

A LikeStore, que provê serviço para criação de lojas no Facebook, selou parceria com a Site Blindado para monitoramento e controle de segurança na comercialização de produtos dentro da rede social.

Com a parceria, a Site Blindado realizará constantes escaneamentos de possíveis brechas na segurança do site, o que deverá aumentar as conversões e a segurança tanto para a loja quanto para o comprador. “Nossa solução blinda a página da empresa e a infraestrutura do widget”, diz  o diretor da Site Blindado, Bernardo Carneiro.

O diretor avalia que o Facebook é um ambiente relativamente seguro, mas não está livre de brechas para fraudes e crimes, incluindo a existência de aplicativos falsos e páginas clonadas.

O portfólio de clientes da LikeStore soma atualmente cerca de 2.900 lojas no Facebook. Os valores envolvidos no acordo com a Site Blindado não foram divulgados.