Posts com a Tag ‘WPP’

 

Infosys e WPP anunciam plataforma de nuvem para simplificar o marketing digital

A empresa de tecnologia Infosys e a Fabric, empresa do grupo global de comunicação WPP, anunciaram o lançamento da plataforma baseada em nuvem BrandEdg.

Composta por quatro módulos, a oferta  permite aos profissionais de marketing montar recursos digitais, ouvir e entender os segmentos de interesse e engajar os consumidores por meio de uma variedade de opções de canais digitais.

A meta das companhias, segundo comunicado, é ajudar organizações de larga escala a lidar com a atual complexidade e fragmentação do marketing digital.

De acordo com Martin Sorrell, CEO da WPP, o que os clientes buscam atualmente são soluções mais simples em um mundo do marketing cada vez mais complexo. Ele afirma que a aplicação de tecnologia e análise de dados para acelerar a eficiência e efetividade está bem fundamentada, mas a abordagem tradicional de tecnologia e marketing raramente falam a mesma língua.

“A BrandEdge oferece uma solução abrangente para cobrir esta lacuna e ajudar nossos clientes a criarem uma experiência pessoal única para consumidores”, afirma Sorrell.

A plataforma em nuvem está disponível em modelo de assinatura e pagável por uso.

Grupo WPP duplica gastos com publicidade no Facebook

A WPP, maior grupo de comunicação do mundo, anunciou que irá duplicar os gastos com anúncios no Facebook, passando de cerca de US$ 200 milhões em 2011 para em torno de US$ 400 milhões em 2012. A informação foi transmitida pelo CEO do conglomerado, Martin Sorrell, em evento realizado hoje, 27, por associação norte-americana de agências de publicidade, em Los Angeles (EUA).

Segundo analistas de mercado, o montante reflete o crescente interesse das empresas pelas mídias sociais, em especial pelo Facebook, embora as dúvidas relacionadas com retorno do investimento nessas plataformas continuem em sua maior parte sem respostas satisfatórias. De acordo com o site de notícias MediaPost, o executivo da WPP destacou esse aspecto, afirmando que os processos de medição em plataformas sociais tornam-se uma pressão nos negócios dia após dia.

“Os clientes estão começando a questionar o aspecto da mensuração. Trata-se de uma área muito sexy, e os clientes têm aderido a esmo, porque está na moda fazer isso. Os investimentos atingiram uma escala que chama cada vez mais a atenção dos departamentos de compras e financeiros”, teria dito o CEO da WPP.

Segundo ele, a medição de ROI em mídias sociais é a chave para combinar esses ambientes com outras mídias, sejam digitais ou tradicionais. A tarefa tem de envolver profissional capaz de interpretar e analisar o equilíbrio entre os canais, que devem atuar de forma integrada. Na visão do executivo, a tecnologia e as ferramentas analíticas são apenas uma parte da estratégia do grupo. “Queremos andar com nossos próprios pés”, afirmou.

No Brasil, as empresas do Grupo WPP atuam nas áreas de propaganda, gerenciamento de investimento de mídia, consumer insights, relações públicas, construção de marcas e identidade, marketing direto, internet e digital, promoções e eventos, ações em pontos de vendas e gerenciamento de banco de dados.  Em seu site global, o grupo lista atualmente 55 escritórios no Brasil, a maior parte na capital paulista.

Internet aumenta a autoconfiança dos usuários brasileiros

Melhorias na infraestrutura de países em desenvolvimento possibilitaram o acesso ao mundo digital e mudaram a vida de um número significativo de pessoas destas regiões. No Brasil, 38% dos internautas atribuem à web uma melhora em sua autoconfiança, enquanto a média geral dos países emergentes foi ainda maior, 44%. Nos mercados desenvolvidos, esse percentual cai para 19%. A conclusão é do estudo Digital Life, realizado pela TNS, empresa Kantar e parte da WPP.

Segundo o estudo, a confiança recém-adquirida tem levado as pessoas dessas regiões a usar a internet para se expressar. Um terço dos internautas emergentes escreve semanalmente em seu próprio blog, contra 18% nos países desenvolvidos.

Os resultados do estudo confirmam a tese de que a internet pode se tornar viciante para internautas iniciantes. “Os maiores índices de engajamento foram verificados justamente nos mercados emergentes onde havia restrição de acesso em um passado recente”, diz Juan Londoño, gerente regional de pesquisa interativa da TNS para a América Latina.

Segundo  Londoño, esse é o momento ideal para que as empresas estabeleçam uma conexão emocional com os consumidores.“Usuários mais experientes se tornam mais céticos e criam uma barreira contra ações publicitárias na rede”, avalia

O Digital Life destacou a importância da mobilidade para prover o acesso à internet nos mercados em desenvolvimento. A internet é acessada via celular nessas regiões por 37% dos consumidores, contra 34% nos países desenvolvidos. “A comunicação móvel deve integrar o mix de marketing das marcas, principalmente quando o objetivo é falar com os consumidores emergentes”, diz   Londoño.

Entre outros achados, o estudo revela que 18% dos internautas brasileiros têm interesse em usar o Internet Banking, o dobro da média global. Quanto à TV com o recurso time-shifted, 30% dos brasileiros declararam ter interesse no produto, enquanto a média global é de 20%.

O Digital Life baseia-se em entrevistas com mais de 72.000 pessoas em 60 países.

 

Estudo revela ROI de campanhas multiplataforma

A Kantar Video, uma divisão do grupo WPP, conglomerado de serviços de comunicação e marketing, divulgou os resultados de um estudo detalhado sobre audiência de vídeos online e atividade social gerados a partir dos anúncios relacionados com o Super Bowl, final do campeonato do futebol americano que aconteceu no último dia 4 de janeiro.

O estudo começou na semana anterior ao Super Bowl e conclui que, nos primeiros três dias, os dez melhores melhores anúncios criaram US$ 862 mil dólares, em média, em ganhos de impressões de vídeo. Isso representa retorno de 12,7% sobre o custo de spot publicitário do Super Bowl.

Em geral, os anúncios deste ano criaram mais de US$ 11 milhões em ganhos de mídia e aumentaram em 267% a audiência, em relação ao Super Bowl de 2011. Segundo os analistas da Kantar, esse aumento na audiência de vídeos online sublinha a tendência crescente de uso, por parte dos anunciantes, do evento esportivo como rampa para lançamento de campanhas multiplataforma.

“O incrível poder do vídeo online ficou exposto este ano, com um retorno ainda maior sobre o investimento para os anunciantes do Super Bowl”, diiz Bill Lederer, CEO do Kantar Vídeo. “Esta evolução para campanhas multiplataforma está criando uma nova camada de valor às marcas e públicos, tornando os anúncios uma parte ainda maior deste evento anual”, complementa.

O estudo, que utiliza a plataforma Videolytics, acompanhou a audiência e métricas sociais (comentários, favoritos, avaliações) gerados nos principais sites de distribuição de vídeo online. Também incluiu engajamento e análise de recall da plataforma Videolytics Social. O estudo procurou padrões e tendências que têm impacto sobre as campanhas dos anunciantes.

Veja infográfico com retorno de dez marcas anunciantes avaliadas.

(clique sobre a imagem para ampliar)

 

Veja infográfico com retorno de dez marcar anunciantes no Super Bowl