Posts com a Tag ‘YouTube’

 

C&A patrocina canal de moda no YouTube

A rede varejista de moda C&A é a patrocinadora exclusiva do YouTube Moda, primeiro canal de parceria de conteúdo do YouTube no Brasil.

Lançado nesta quinta-feira, 25, o ambiente conta com cinco canais sobre looks, acessórios, tendências, truques e novidades da C&A. Viabilizada pela agência de publicidade DM9DDB, a parceria com o YouTube conta com produção de conteúdo da Damasco Filmes.

Os vídeos do YouTube moda são apresentados por vlogueiras que possuem blogs próprios na web. As escolhidas são Paula Martins, Chris Francine, Joana Hanson, Helô Gomes e Mariana Santarém. A página inicial do canal traz um pequeno perfil de cada uma delas.

A C&A está presente em mais de 60 cidades brasileiras, com mais de 200 lojas. Segunda a empresa, a rede é composta por mais de 1,5 mil lojas na Europa, América Latina e Ásia.

Campanha da marca Mentos premia quem interagir com vídeos no YouTube

A marca Mentos, da multinacional Perfetti Van Melle, lança amanhã, 26, em suas páginas nas redes sociais, campanha publicitária do novo Mentos UP2U, nas versões bala e goma de mascar.

A ação promocional usa vídeos com recursos de interatividade, permitindo que o expectador decida quais serão os movimentos dos personagens.

O início da ação revela, em um primeiro vídeo, um despertador tocando às 7h e um aviso de que o expectador tem 10 segundos para escolher entre os botões “acordar” e “soneca”.

Dependendo da opção escolhida, o usuário é levado para outros vídeos, com outras opções de movimentos dos personagens.

O objetivo final da peça é levar o consumidor a escolher entre os sabores menta e tutti-frutti em uma só embalagem e concorrer a uma viagem para o destino ao qual o personagem que seguiu será levado.

Confira os vídeos AQUI.

 

 

 

Agência propõe nova classificação de consumidores digitais

A agência de publicidade brasileira DM9DDB divulgou, em sua página no YouTube, um documentário que foca estudo sobre nova classificação do consumidor em ambiente digital.

Denominado “Perfis Digigráficos“, o estudo conclui que as mudanças trazidas pelo universo digital têm pouca ou nenhuma relação com sexo, idade ou classe social, e sim com quanto e como as pessoas utilizam os recursos e equipamentos de tecnologia em sua vida; quais são as intenções que elas têm ao consumir os diversos produtos digitais; e, principalmente, quanto os recursos digitais servem para moldar sua própria identidade.

Com base nessa nova abordagem, a agência sugere cinco perfis de consumidores digitais, os “perfis digigráficos”, que são: consumidores imersos, que tiveram parte de sua identidade definida a partir da tecnologia; os ferramentados, que recorrem à tecnologia para agilizar as tarefas, mas não a idolatram; os fascinados, que querem parecer modernos e tecnológicos; os emparelhados, para quem a  tecnologia é fundamental para pôr em prática os projetos da vida.; e os evoluídos, que têm o universo das máquinas e da tecnologia como seu habitat.

“O estudo reforça o posicionamento que escolhemos para a DM9DDB como uma agência convergente. Geramos ideias e construímos marcas independentemente da plataforma”, diz Cynthia Horowicz, vice-presidente de planejamento da DM9DDB. Para ela, o estudo permitirá às marcas sofisticar o seu entendimento sobre o consumidor na era digital.

Por sua vez, Rodrigo Maroni, diretor de planejamento e estratégia digital da DM9DDB, acredita que a nova classificação dos consumidores aumentará a eficiência das ações digitais, uma vez que orienta para a geração de ideias mais relevantes para cada público.

“Para se conectar com o perfil ‘Imersos’, é preciso saber conversar e dar valor para suas identidades virtuais, especialmente usando meios digitais, que é onde essas identidades ganham vida”, exemplifica.

YouTube transmite 4 bilhões de vídeos por dia, diz Google

O YouTube, site de vídeos online do grupo Google, registrou aumento de 25% na transmissão de vídeos nos últimos oito meses, atingindo 4 bilhões de vídeos transmitidos todos os dias. Segundo a empresa, cerca de 60 horas de vídeo são enviadas ao YouTube a cada minuto, em comparação com as 48 horas em maio último. As informações são da agência de notícias Reuters, que menciona como fonte a própria empresa de buscas.

Por trás dessa expansão estaria a estratégia do Google de levar o site de vídeos para além do ambiente de PCs, atingindo os usuários também por meio de celulares inteligentes (smartphones) e televisores. Além disso, a empresa teria centrado foco no aumento do volume de conteúdo com qualidade profissional.

Embora o YouTube tenha se tornado uma das principais oportunidades de geração de receitas do grupo, além do marketing de buscas, a informação passada à Reuters é que a maioria dos 4 bilhões de vídeos que rodam em todo o mundo, todos os dias, ainda não fazem dinheiro para o grupo. Por semana, 3 bilhões de vídeos são monetizados, segundo informa a agência.

Recentemente, a empresa reformulou o site de vídeos para comportar canais especializados e anunciou uma série de parcerias para diferentes tipos de conteúdo, incluindo acordos com os cantores americanos Madonna e Jay-Z, e com a companhia Thomson Reuters, para criação de um canal de TV Reuters para o website.

O YouTube foi adquirido pelo Google em 2006, por US$ 1,65 bilhão.